quarta-feira, 28 de abril de 2010

A falência dos correios

Todos os anos gosto de escrever e enviar cartas com meus alunos. Motivos para isso não faltam.
No ano passado escrevi com minha turminha uma carta para as prefeituras das maiores cidades do Rio Grande do Sul e tentei colocá-la no correio como "carta social", pois o selo custaria apenas R$0,01.
Fiquei muito surpresa com as dificuldades que enfrentei para colocar essas cartas no correio. Na primeira tentavia não poderíamos escrever carta social para uma instituição (no caso as prefeituras), depois a frase "carta social" deveria estar escrita no canto superior direito, na terceira vez todos os envelopes deveriam ter o quadrinhos para colocarmos o CEP, assim por diante. Não desisti da minha relação com o correio por uma questão de honra. Despois de diversas tentativa finalmente as cartas foram postadas.

Esse ano, prevendo o martírio da carta social, resolvi pagar o selo. Na minha ingenuidade, pedi que os alunos trouxessem R$0,25 para esse fim. Hoje fui até o correio levar as cartinhas. Quando a atendente me disse que as 23 cartas custariam R$ 16,10 me espantei: quanto custa o selo? Para minha surpresa o selo custa R$0,70! Reinício da saga!

Tão bom a espera da carta, a surpresa ao recebê-la, os detalhes ao escrever. Mas pelo visto não poderei ensinar isso aos meus alunos. Na próxima aula de informática mandaremos um email.

Um comentário:

Simone disse...

Oi Fabi!!! Será que a proposta do email não pode criar a mesma magia?
Abraços!!